segunda-feira, 25 de junho de 2012

saudade só nossa

Fico pensando se algo novo, não dito
maldito inaudito
pode ainda ser escrito
falado tudo já foi em verso,
em fiada conversa
escrito em alguma língua, talvez...
e assim, em castiço português.
Se falar em saudade matasse,
mais não existiriam dores, alegrias,
nem passados amores.
Saudade é nossa, única e exclusiva.
Pensar nela podem ter pensado.
Passado por ela, gente tem passado,
escrevê-la, a palavra arranhando a alma
aventura possível, façanha previsível um sonho indizível.
Saudade, saudade, em fim de tarde
quando o sol ainda é,
mas já não arde
parece um ter-se ido,
mas ficado,
parece choro de abandonado.
Saudade é só saudade,
mais não
em língua alguma há tradução,
dela sabe só o coração.

2 comentários:

Anônimo disse...

A saudade é a maior de todas as mágoas. ( do livro Desaforismos de Georges Najjar Jr )

MM disse...

A saudade é o pior dos sentimentos...Muito bom Adroaldo!