sexta-feira, 2 de novembro de 2007

por Mali Ueno


Olho teu retrato
na página do meu diário
entremeado por confissões
Já não és o mesmo
Que pecado, danado
saudades aos turbilhões

Lembranças partidas
algemadas às feridas
que companhia foram
nos momentos de só

Teu vulto só meu
me assombrava
delatava tuas delineações

Lembranças acabadas
enterradas ao crepúsculo
que embora foram
me deixando só

4 comentários:

Me Morte disse...

Aí! Mali! Arrebentou linda! Um poema que se torcer escorre!
Boa estreia. Beijos

Anônimo disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
Leni Martins disse...

Mali!!! Gostei muito do seu poema...
saiba que sou muito sincera em relação a comentários....
Parabéns....
Mil beijosss..
Leni Martins

Angela Nadjaberg Ceschim Oiticica disse...

Muito bom! Gostei!