segunda-feira, 15 de setembro de 2008

EL DORADO



El Dorado
Thiers R>



esquartejo gritos
a prática já me faz
esquateja dor
miserável dia negro
pinta paredes, alucina
fede latrina
deixa rastro descalço
pisa caco calcificado
puxa cigarro
El dorado
à porta do cinema
cheira sêmen tes


>Setembro2007


>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>

3 comentários:

Me Morte disse...

Thiers, que golpe baixo! Eu já ia dormir e vc me põe essa pilha toda?
Teu poema me dá arrepios. Eu imagino vc de barba por fazer e com cheiro de terra, recitando em meu ouvido...lindo! Masculinamente belo!

Flávio Mello disse...

pois é... invejando o tal comentário dessa gata aê... Me... ai ai ai... se cuida...

então Thi...

como sempre dilacera a porra do verso! parabéns... poesia é assim estomago...

Augusto dos Anjos? quem sabe?

perfeito

Ivy Gomide disse...

Meu menino Thi, eu nem vou rasgar a seda necessária pra falar de vcx pq vc sabe o quanto te amo e o quanto te acho fantático.... infinitamente melhor do que eu...rsrs acontece..
Vc fecha um poema de forma fantástica....

'..pinta paredes, alucina
fede latrina
deixa rastro descalço
pisa caco calcificado
puxa cigarro
El dorado.....

Vai escrever bem assim na pqp( usando seus termos chulos..rs