terça-feira, 20 de janeiro de 2009

Lado negro-Breno Filth



Sobraram seus presentes sentimentos,
Talvez agora os
Espelhos refletem
O maléfico lado negro do amor...

Lapsos de mistério
Que atinge o passado
Lembrando anjos e demônios
Que dançavam a dança macabra

Anjos que sorriram
Do amor que o fora perdido,
Demônios que o consolavam
Quando suas lagrimas
Caíram no jardim...

Então por uma vez
Os jardins escureceram
Revelando a tristeza
De alguem que amou.

Breno Filth

3 comentários:

Inominável Ser disse...

O Negro aqui se torna
A Força Grandiosa
Que Transfere
E Que Transforma
O Ser ao estado
De Não-Ser
Reunindo Danças
De Determinadas
Formas Novas
Que Sempre Nos Vales
De Sangue E De Lágrimas
Desaguam Como
Chuvas Tórridas

Uma poética observação acerca de vosso versos, Breno Filth.

Me Morte disse...

Bela estreia! Muito feliz fiquei ao ler teu poema, deu saudade do Vale (estou viajando).
Abraços

3ªconferencia -tema: Agua disse...

Valeu me morte...
boas viagens!!!