quarta-feira, 29 de julho de 2009

Doppelgänger

Besta lendária e maldita, desgraça caminhante,
Invadia a essência dos vivos para seu prazer,
Copiava minha forma para destruir meu nome!
Ser macabro e amorfo, confundia meus amigos,
Eu estraçalharia sua carne e ossos.

Sem rosto e personalidade próprios
Ele copiava minha forma e personalidade,
Simulava minhas habilidades e poderes.
A vida do sósia tinha de terminar,
Eu o livraria do fardo da existência.

Soluciaria seu problema com violência,
Esse fardo de identidade dismorfa
Deveria cessar com meus ataques.
Quis destruir sua forma inumana
Libertando esse mundo de sua presença.

Desejei-o como oponente em uma batalha!
Não mais veria seu desrespeito,
Não mais ouviria suas zombarias.
Outras perturbações eram menores,
Seu sangue seria devorado pelo solo.

Fui destemido e enfrentei meu inimigo,
Minha existência estava abalada,
Pelo invejoso e cruel doppelgänger!
O copiador das entranhas subterrâneas,
O pesadelo dos reflexos distorcidos.

Foi uma grande batalha física e mística,
Tamanho duelo foi delicioso.
Sou o verdadeiro Mensageiro Obscuro.
Nem tudo podia ser copiado, eu venci,
Decaptei quem nunca foi alguém.

Vencida a batalha, mais um monstro derrotado e o Mundo Onírico fica um pouco mais habitável para criaturas como eu.


- Mensageiro Obscuro.
Junho/2007.

-- Glossário --

Doppelgänger = É uma criatura mitológica de lendas germânicas que podia imitar a forma física, voz e jeito do humano copiado. Diziam ser um humanóide metamorfo que só pensa em si e possui poderes mentais leves, mas eficazes. Várias lendas giram em torno desse ser que podia ser também uma versão de personalidade oposta a do copiado.
O nome Doppelgänger se originou da fusão das palavras alemãs doppel (significa duplo ou duplicata) e gänger (andante, ambulante ou que vaga).

2 comentários:

Me Morte disse...

Sombriamente belo!!!
Vc está muito inspirado, eu adoro isso. O Vale está de parabéns com esses novos poetas...

Abismo do Obscuro disse...

Obrigado por ler e comentar.