segunda-feira, 24 de agosto de 2009

assassinato pela ordem


o soldado mira um alvo adiante
de um homem a roupa agora escarlate
o corpo inerte, jaz no chão inanimado
que honra haveria na batalha
se apenas um lado têm armas
o nome do massacre é assassinato
na iníqua e injusta ordem sustentado,
é a lei dos proprietários das vidas
de quem o servil miliciano é capacho

4 comentários:

Me Morte disse...

...triste realidade! eu tinha visto lá no seu blog e agora aqui, infeliz realidade...belo poema!

Adroaldo Bauer disse...

O tiro foi a comando consciente, sem atropelos, calculado friamente,
pelas costas...

Adroaldo Bauer disse...

Me, perdão pelo atraso na minha publicação este mês, estou em plena produção da 12ª Semana da Pessoa com Deficiência aqui da cidade e me perdi na folhinha.
Não fosse tua atenção, teria lembrado apenas no fim de semana, quando passo em revista os compromissos.
Grande beijo.

Me Morte disse...

12ª Semana da Pessoa com Deficiência? Que coisa...parabéns!
Não se preocupe,eu fui no seu blog para ler algumas coisas que curto lá...mas sabe, reparei, vc tem o ebook IV, mas não tem o outro que participou, não lembro agora a edição, sei que o texto é "Cigarro mata".
Viu como estou atenta? hehehe