terça-feira, 5 de janeiro de 2010

Luto Ainda

Hoje estou vazia
mesmo povoada de mães, pais e filhas.

Sete anos de sorte
e agora o corte
dói de novo, renovado.

A casa está sozinha e reclama:

— O muro é apenas muro,
a porta da sala não mais mia chama,
quando se abre.

Sete anos, seus olhos
me deu por companhia,
por sete anos me seguiu,
onde eu estava,
ele ficava.

Hoje lembrei dele, quase esquecido.
Fui tragada pela minha lida
e ele foi o traído.

E uma foi - se rasgou a lembrança:
na última noite não disse adeus...

Foice,
sem olhar nos olhos meus,.
meu gato preto e branco
que morreu.



(repostagem de 2007-2008 revisada)

3 comentários:

Professor Zeluiz disse...

Very beautiful, Flá!
Aproveito para desejar a você um 2010 de muita poesia. Que seu coração continue vertendo para que a gente possa sobreviver.

Me Morte disse...

Muito bom Flá! Uma linda homenagem...esses nossos bichinhos são parte de nós mesmos. Beijos

FláPerez (BláBlá) disse...

Valeu Professor! feliz 2010!




Valeu Meeeeee!!!! bjbjbj