domingo, 28 de março de 2010

Soneto da Despedida


-

Soneto da despedida

Passeando pela tarde triste
avistava o sol que morria
crescia a noite que partiste
e uma saudade na alma nascia.

Vagando pela mesma melodia
foi-se o dia sem teu adeus
afogando versos em melancolia
na vasta agonia dos olhos meus.

passa ventania triste que apareceu
cantando com os pássaros do arrebol
encarnados esperando a luz do sol.

Voando sobre os derradeiros raios
derramo essa saudade em tua partida
descrita por gotas de orvalho reunida.

Por Emerson Sarmento.

2 comentários:

Melissa disse...

vc faz sonetos belos

*lua* disse...

Olá tudo bem contigo?

Montei meu blog a pouco, então busco blogs interessantes para trocar poesias e alegrias.
Muito bom o seu!

abraços