terça-feira, 5 de outubro de 2010

Tirana

Talvez ele não saiba o quanto ainda o quero
e o quanto dói incendiar assim minha memória,
- e os seus pedaços -
feito um Nero.

Depois,
ninguém espere ou peça
ver-me outra vez como eu era antes:

Vou começar nova mulher
do zero.

2 comentários:

Angela Nadjaberg Ceschim Oiticica disse...

Bom poema, Flá. Gostei mesmo.

Flá Perez (BláBlá) disse...

Obrigada, Angela!

tá sumida!
bjbjbj