sexta-feira, 5 de novembro de 2010

Tardia



Há dias
em que todas as culpas
vem à tona
e todos os meus feitos me assombram.

E dói
mesmo o mínimo abandono cometido:

os meus crimes
não ficam sem castigo.

3 comentários:

Me Morte disse...

O pior juiz é nossa propria consciencia...Lindo!!!
Muito bom!

‡Ånjo Sidéreo‡ disse...

Belíssimo e profundo texto!
A cada recostada de nosso zimbório, pela noite, ao travesseiro, fazemos nosso juízo de nossas faltas durante o dia!

Parabéns!

Insanium Delirium disse...

pequeno e belo poema, essa imagem é maravilhosa!!
muito legal o blog, se quiser, visite meu blog de arte obscura, acho que vai gostar http://artegrotesca.blogspot.com