sexta-feira, 4 de janeiro de 2008

Tecendo a vida


de Sirlei Passolongo


Cada verso tece um poema
Cada poema uma saudade
Cada saudade um amor

Como a abelha
Que colhe o néctar
De rosa em rosa
E tece sua morada
Ou a andorinha
Que tece o ninho
A espera do inverno

Cada poeta tece
Um verso
E cobre de cores
O papel em branco
Que tece poemas
Que tecem dores
E amores
Espinhos e flores.

(Sirlei L. Passolongo)

2 comentários:

Me Morte disse...

A Sirlei tá ficando especialista no estilo.bjos

Doctor t. disse...

A singeleza e sua marca Sirlei! A palavra, por vc, é tratada com o máximo de carinho. Elas pousam na tela e formam jóias que encantam qualquer bruta-montes!!!

Lindo!

beijão