sábado, 2 de fevereiro de 2008

A queda

Caiu a uma altura considerável. Bem...não poderia morrer, sabia que não era chegada a hora. Acabou por sobreviver àquela queda, como previsto. Levantou-se, limpou-se de todo o pó e caminhou em direção à escada para voltar à chaminé e terminar a limpeza.

2 comentários:

Mali Ueno disse...

Sei que não foi mt cara do vale, mas eu não podia de deixar de postar algo minha cara.. hehehe

mês q vem capricho numa poesia gótica
;)

Me Morte disse...

foi a cara do vale sim, o conto e o comentário: sarcástico! rsss

adorei mali, boa, como sempre.
beijos