terça-feira, 18 de março de 2008

O encontro do orvalho e dos gatos podres




Uma criatura pequenina pintava toda sua casa escura, com os dedos, quando a campainha tocou, como alarme de incêndio.


Coração disparado,todos os gatinhos despertaram e correram em direção ao portão de ferro,ninguém nessa história conhecia esse som.


Nunca havia recebido uma visita ou saído de casa e a solidão avassaladora tornou-se companhia diária, comportável até.


Correu para o portão e o abriu sem hesitar, a curiosidade era maior do que ele, não respondia por si.Uma mulher arrepiante o aguardava do outro lado da grade,sua beleza era de outra esfera.-Por favor, posso morrer mais cedo? Perguntou a fêmea.


O menino nunca tinha ouvido uma voz antes e tamanho foi o efeito que lhe causou: um principio de convulsão, mais psíquica que de qualquer outro gênero . Debateu-se contra as ferrugens, mordeu lábios, mãos, língua, caiu no chão, mas isso durou pouco.


-Entre moça, tem leite quente e sopa de batata aqui. E minhas flores são sempre orvalhadas.Foi o que escapou de sua boca rosada.Ela entrou e a cada passo que dava um gato morria.Sentaram-se munidos de líquidos, sólidos e fragrâncias orvalhadas, o menino não percebera ainda os óbitos dos gatos.


-Como se chama?Perguntou com o leite puro na boca.


-Deus. E Você? Queimando-se com a sopa.


-Criança do eclipse abismal.


-Acho que bati na porta certa então...Fecha os olhos?
Ele fechou. Deus não estava mais lá quando abriu novamente, os líquidos ainda fumegavam, o cheiro de gato podre e flor fresca era enlouquecido.


3 comentários:

Me Morte disse...

Caralho! Que coisa estapafurdiamente doida e ao mesmo tempo fantástica!
Lindo!!!
Tinha que ser da minha deusa gótica!
Lindo!!!

Giselle Sato disse...

Medusa, vc está na sua melhor fase literária, criando as coisa mais "intra" que eu já li em minha vidinha de Koontz e King e Poe todos os meus adoráveis e horrendos escritores favoritos.
Céus, ouso dizer que vc está captando o imaginário pós esfera.
Vc entendeu? Ótimo. Então é isso.
Um conto incrível.

Ana Kaya disse...

Meu Deus, que confusão, que doideira, não entendi nada. Mas é tão louco que é bom.

Depois dizem que a louca sou eu ahahahahahahahahah.