domingo, 25 de maio de 2008

*** MAIS UM GOLE ***





MAIS UM GOLE


Bebo-as
atormentadas no copo
mais um gole
peço gentilmente
entre loiras e morenas
entorpeço famigerado
descem a garganta
rasgando dores
que ali moram
etílicas dores
não posso mentir
quando te bebo
estanco sangue
arroto cotidianos
no hálito infernal
a conta no banco
adormece
a parede rabiscada
se pinta
o condomínio zera
quando te bebo
mulher fatal
sorvo no gole
prazer visceral


** Gaivota **
*2008*



________________________

Um comentário:

Me Morte disse...

Querido, esse copo me deu lembrança e enjôo,rss`É que tomei todas na minha festa surpresa, só não fiz streap porque apaguei antes (pra sorte dos espectadores,rs).
Muito bom teu poema. Teu talento eu ja conheço, de muito que sou tua fã...Fico orgulhos de ver vc no meu blog, sabia que eu já sonhava com isso bem antes de te convidar..Achava que vc era inascessível!
Beijão