quarta-feira, 15 de outubro de 2008

ACIDENTES COM ARMAS


acidentes com armas
Thiers R>


desafio-te
nesta linha imaterial
insensata, estúpida e ignorante
onde estão as armas?
onde esquálido e putrefato sangue
rasga desumanidade?
eles vinham na noite
atravessando rios
melodiosa música calou-se
silêncio gutural
invade semblante
dum povo des armado
selvagens!
crianças como brotos de flor
na esteira insultando fuzis
crianças do meu Brasil
semi-inocência desnorteada
acirra tiro teio
grito a dor da alma
que ama
grito ao silêncio, acuda!
mas eles
ácidos dentes
cravam memórias
tracejam flores
pingam sangue
na terra branca
>>

Às flores abatidas
2007

________________________

2 comentários:

Caio Tadeu de Moraes disse...

E aeeeew sr. Rimbaud, tudo bom?
Krakatoah... eclodiu o bigbang nesse novo poema ehin; parece até uma daquelas obras literárias superprestigiadas que aprendemos na escola.. rss, e isso porque você falou que nunca mais iria tratar sobre política; porque isso te adoecia. + tah bom, o que importa é a qualidade poética encontrada nestes ousados e penetrantes versos.
Falar sobre lamuria, pessoas morrendo e armas de fogo hoje em dia é falar sobre a atualidade, sobre o constante caos e deterioramento de estilos de vida que se globalizou; vivendo sobre um fogo cruzado de um pandemônio criado pelo próprio homem. Uma linha industrial de conclusões poderia ser extraída de suas palavras, pois é um fato evidente em todo o planeta (e o mundo tah uma droga). Você cita o Brasil, o que, acredito, reduz um pouco as variantes interpretativas.
Chuto dizer que você está se referindo a um fato especifico, uma data ou acontecimento; + uma arremate mais preciso só seria possível analisando toda “vida e obra de Thiers R.”, mais isso é muito mais viável depois de seu falecimento.. (ahaaauauaahaa brincadeira)
Continue poetizando o mundo!!

Thiers R disse...

Curiosamenteeste poema tem perto de um ano... Eu tive uma 'amiga' por aqui(ork) q gostava de instigar e fazia prospostas dizendo: vamos ver se vc é capaz! Isso mexiacomigo, sendo assim ela chegou a me fazer umas 4 propostas.kkkk
Escreva sobre: loucura
escreva sobre granos duros ( espinhas)
escreva sobre acidentes com armas..
E esse poema saiu assim em 5/6 minutos de acorso com a forma isnstigante com q ela me provocava.. Gsto disso Caio, gst de provocações q fazem-me criar..
Eu não gosto é de bate boca inútil.. mas um poem sobre a inutilidade até é um belo tema.
Cachorrão ce é mó barato!