quinta-feira, 1 de janeiro de 2009

ANO NOVO, TUDO NOVO...




O mundo já foi bom...
Uma época tão boa aquela que meus avós viviam. Onde crianças pulavam amarelinha nas calçadas ou brincavam de carrinhos de rolimans pelas ladeiras. Elas próprias construiam e geralmente os freios eram os sapatos, coitados, com as solas gastas de tanta derrapagem.
As drogas eram conhecidas pelo seu poder curador ou amenizador das dores dos enfermos.
Hoje correm garotos de skate, alguns braços quebrados e as drogas encorajam moços covardes e restos de um passado de sonhos em vão...
Nos anos 60 era fantástico dividir um baseado...Hoje o mundo se baseia em crimes, drogas e muito dinheiro, sujo sim, mas geralmente bem lavados...
Outro dia um rapaz acordou no banco de trás de um carro desgovernado, entre as carretas numa rodovia federal, com o amedrontador som de uma sirene policial no retrovisor. Tinha sido nocauteado com um comprimido de êxtase em seu copo, que um "amigo do peito" fez o favor de colocar enquanto seus olhos se distraiam olhando os seios de uma piranha que dançava ao som de um funk numa boate qualquer.
Ficou confuso, tentou argumentar para que parasse o carro, mas seu cérebro anestesiado não o deixou proferir palavras e sim urros, berros e por fim, a puxada do freio de mão, ocasionando um fenomenal cavalo de pau.
Ah, minha santa vozinha! Que bom que você está morta para não ter o desprazer de ver isso, o seu bisneto na podridão do mundo moderno! Na sua época as pessoas eram pessoas! Hoje o mundo é verde como os olhos de uma fada engarrafada.
Que bom que eu não sou mais nada! Enquanto me julgava pessoa tentei mudar o mundo, mas o mundo foi que me mudou...
Pedófilos desfilam pelas linhas virtuais nas webs da vida, distribuindo brinquedos e sugando sem medo, todas as infâncias queridas...
Pais malditos espancam os filhos e depois os jogam pelas janelas...
Políticos contando glórias, politizados, bancando heróis, varrendo para debaixo dos lençois os dólares e do tapete os reais...
Ladrões nas redes...
Ladrões nas redes...
Ladrões em redes...
Fazendo filas, enquanto pobres com sede, contam seus pilas, grilhando as terras, fazendo as guerras, matando gente...Crianças mentem, que seus heróis ainda os são...
A agora meu Deus? Que faço eu?
Me junto a eles ou brindo o ano que se inicia...?
Bela porcaria!
O que tem de bom é esse instante, o único instante sem baixaria...
Será que isso muda um dia?

...
Me Morte
Feliz 2009

3 comentários:

Miguel Barroso disse...

Bom ANo!!!!



Abraços d´ASSIMETRIA DO PERFEITO

Glauber Vieira disse...

Boa reflexão, da qual concordo.

Anônimo disse...

Sem cerveja ou chope,

Porque amargam

Unos goles de vinho

Porque aveludam

Terno abraço, amiga,

Porque mais te amo!



Adroaldo