sábado, 21 de fevereiro de 2009

NA COVA DO GENOCIDA

Os berros chegavam até nós ensurdecedores.

Alguns Exus recuaram, desembainhando suas espadas.

-Nem todos os guerreiros nas Trevas têm conformação fluídica compatível com este báratro.

O terreno era de fato assustador. Nenhuma gleba trevosa, mesmo as mais recuadas do Abismo, nas quais eu já entrara, me parecia tão pesadamente ideoplasmada, como aquela.

Espremida num desfiladeiro colossal, a senda recebia a tênue luz de Vésper, que caía, pálida, lânguida, dando um aspecto deprimente ao nevoeiro.

Lembrei-me das faces ocultas de Marte, o Planeta Vermelho, com sua topografia peculiaríssima e suas vastas regiões umbrosas

Numa furna nigérrima, cujos bordos respingavam lama e vermes astrais, purgava o Espírito, em terríveis tormentos, revolvendo-se tal qual um feto na sua pasta coloidal.

-Ele não nos vê - declarou-me um dos Demônios da Legião de Asterc, e que vinha ao meu lado, igualmente montado em cavalo negro.

Debruçamo-nos sobre a cova infecta. De fato, o Espírito estava alheio a qualquer presença ali, mesmo dos Exus mais bem treinados ao trabalho nas pesadas regiões purgatoriais. Seu corpo perispiritual, reduzido a um embrião nas malhas de uma poderosa crisálida, retrogradava espantosamente para as dimensões amorfas de um ovóide.

-Ele caminha à Segunda Morte - murmurou o Demônio, quase numa reverência sepulcral. Desde Átila, Calígula ou Bonaparte, nenhum mortal desceu tanto ao charco, quanto este que animou o inflamado Chanceler.

Lembrei-me dos campos de extermínio, das experiências com vírus e bactérias inoculados nos prisioneiros, das câmaras de gás, dos jogos macabros de seleção dos judeus nos dias de execução em massa.

Ele ainda asseverou:

-Os arianos deveriam ter confraternizado com os hebreus, como irmãos detentores da Chama, imigrantes comuns, vítimas do mesmo expurgo. O fratricídio é crime infinitamente mais execrável. Não fossem as primeiras incursões deste Espírito entre os hiperbóreos, talvez a animosidade das etnias não tivesse chegado ao Holocausto. Eis sua paga!

Nada podia ser feito. A Legião aprestou-se, tomando sua montaria. Eu, como aprendiz naquele Inferno dantesco, afastei-me também do fosso, um tanto enojado. Ali, entre berros lancinantes, Adolf continuava despojando-se, tal qual animal em longa agonia, e assim ficaria por milênios, mergulhado na sua própria demência.

Um comentário:

Inominável Ser disse...

Uma visão da Verdade acerca do Destino Eterno de Adolf Hitler, Mago Eremita, a se deteriorar na Segunda Morte, a agonizar na Grande Lama, a enterrar-se cada vez mais nas Fossas Abismais...

Abessokabak Canta O Fim De Adolf Hitler No Eterno Atshavar!