segunda-feira, 13 de abril de 2009

Me Permitindo


Quando embolsei tuas flores,
Mesmo mergulhada na escuridão,
Vi um deslize em meus braços,
Abrindo-se para a multidão.

Por muito tempo, penetrei lacuna adentro,
Permitindo apenas o alento,
Onde mais ninguém pudesse passar,
Agora quebrado por seu sentimento.

Estou me permitindo neste momento,
Permitindo que entre o alimento,
Da alma que pousava em retiro,
Da vida que por breve tinha sumido.

2 comentários:

Me Morte disse...

lindo rafa!vc escreveu com uma perfeição de poucos...

Rafa Malon disse...

Oi Me, que bom que você gostou =] Fico feliz!!!