domingo, 3 de maio de 2009

Vampiro: A batalha final - por Adriano Siqueira


Vampiro: A batalha final
Autor: Adriano Siqueira - siqueira.adriano@gmail.com

Uma das vantagens de viver a noite é que quando estamos em um lugar onde a escuridão é total, aproveitamos para refletir sobre nossa eterna vida.Nesta pequena reflexão, dou um sorriso. Hoje ela virá! A caçadora virá para terminar de vez com a minha vida. Hoje realizarei meu mais sórdido e sedutor desejo de batalhar com ela.
Escuto passos. São passos cuidadosos. Quase imperceptíveis se não fosse meus poderes eu jamais ouviria seus movimentos. Ela abre a porta... Eu quase deixo escapar um suspiro, mas me seguro ao máximo para aproveitar cada movimento que ela faz.
E então! Ela acende a luz e com uma coragem esmagadora ela me encara e diz:
- Não me importa como o encontrei. Não me importa se esta sentindo dores. Está ouvindo?
- Sim!
Eu estava tão atento aos seus movimentos que quase deixei de responder. Seus olhos verdes. Cabelos longos, ruivos e uma pequena pinta na sua bochecha avermelhada.
- Sabe! Não é tão difícil assim, capturar um vampiro. É só pegá-lo na hora certa. Sem defesas, sem dificuldades. Consegui tempo suficiente para trazê-lo aqui. A propósito. Tem sete hóstias cravadas nas suas costas e um pouco de água benta na coroa de espinhos colocadas na sua cabeça. Suas mãos e pés estão amarrados com espinhos de uma roseira.
- O que pretende fazer?
- Não pretendo libertá-lo. Vai ficar aqui até o amanhecer. E eu vou ouvir, bem de perto, seus gritos! Assistir a cada sofrimento que sentir. Seus apelos, Suas súplicas para libertá-lo.
- Oh. Sim... Por favor.
Ela me deixava louco.
Fique sabendo que a sua espécie está acabada. Só restou você e logo estarei vendo cada parte do seu corpo ser destruído, ser destroçado, ser devorado pelo sol.
- Por favor! Não me torture mais!
- Ainda não acabei vampiro! Você jamais terá a minha piedade, a minha compaixão. Só quero te destruir. Só quero a sua dor. Só quero seus lamentos.
- Oh...! Como você é maligna!
- Uma pena que o Sol logo aparecerá e tudo será apenas uma lembrança da minha vitória sobre você.
- A Vitória será minha caçadora!
- Chegou a hora!!! Agora é hora de queimar. Está pronto Vampiro?
- Sempre estarei pronto!
- Torne-se brasa então, Torne-se fogo, quero vê-lo fervilhar. Chamas... Muitas chamas incandescentes.
- Oh... Sim... O fogo... É demais!!! Não pare!!! Nãaaao!!!
- Finalmente destruí o vampiro! Finalmente o mundo está livre desta ameaça. Agora... Eu... Estou tão cansada! Tão... Preciso dormir um pouco. Só um pouco...
- Isso minha caçadora! Sonhe com sua vitória. Recupere por completo as suas energias, pois amanhã... Estaremos nos enfrentando novamente nesta eterna e deliciosa batalha.

“And love's strange: so real in the dark - Simple Minds”

Um comentário:

Me Morte disse...

talentoso, criativo e sedutor, como sempre...não existe batalha final para vampiros e esse autor sempre nos brinda com um conto belo e instigante...parabéns adriano!!!!