segunda-feira, 13 de julho de 2009

Não te quero mais




Já não te quero mais.
Vi tuas rugas, as intrusas
As que te fazem frágeis.
Já não te quero essa trilha
Tão andada.

Haverias de ser minha senda,
Minha estrada, minha amada,
Mas escolhes os atalhos menos sérios
Te esvais para longe de mistérios
E escolhes o óbvio e pouco importante.

Não te quero mais.

Estragaste meu instante
Minha fantasia e sonho
Minha realidade, o melhor sextante
De onde eu leria em astros, os mais reles e vulgares
Os meus lugares comuns, meus lares
Onde aportaria os ossos, os meus e os nossos,
Prenhes de memória e desvarios.

Já não te quero mais.

Pois secaste meus rios e meus mares
Os únicos lugares onde ainda,
Inocente ou indulgente
Poderia navegar.

Agora,
Não te quero mais.
Não és, nem em ilha distante
Um ponto, um porto, um cais.

3 comentários:

Ruy disse...

Isso ficou (para mim, claro) emocionante na voz e interpretaçaõ da Solage Mazzeto. Por conta de um detalhe foi apagado. Espero que ela volte a gravar.

Jane maria disse...

Eu to assim, mas não sei se ainda quero, doi muito como sempre....amei

Jane maria disse...

Estou numa fase meio egocentrica, desculpe,gostei muito. Quando o outro se torna mais importante, is a problem, mas "superação" sempre.