sexta-feira, 7 de agosto de 2009

Influenza





Eu liberdade
Tu incompetência
sem interferência nos porcos
irreverência nos portos
incontinência nos mortos...


Fui conhecer outros mares
Outros males, dos males o maior
e agora jazem os fracos
e eu mato, cada um ao redor...


Eu liberdade
Tu é que sabe
tens a chave
do cativeiro que abre
a cada tossida
ou beijo...a saída.



Me Morte

3 comentários:

Lord Daniel Diamond, Príncipe da deusa Nyx disse...

Olá Me, adorei este seu poema. Parabéns!!! Beijão!

Me Morte disse...

Valeu Lord! Obrigada pela leitura!

Adroaldo Bauer disse...

muito bom Me. Pior é que parece que os bichinhos esses foram produzidos em laboratório para dar dinheiro aos de sempre.
Nero fez escola.