sábado, 8 de agosto de 2009

OM





Soando pela estância do infinito

Em cordas eternais do inexistente,
Discorrem pelo olhar da minha mente
Os mundos que jamais havia escrito.

Em sílabas que agrupam velhos ritos,
Acoplam-se universos em nascentes
Vibrando melodias transcendentes
Além das espirais de céus aflitos;

A essência que permeia todo o mar
E abrange o macrocosmo tão vibrante
Das águas do universo a desflorar,

Transforma o nada astral num curto instante
Em letras que se eclodem no pulsar
Dum som primordial e ressonante.



ps: OM - Mantra mais importante do hinduísmo, sendo considerado o "som do universo" que dá origem a todos os mantras. Algumas informações adicionais presentes aqui

2 comentários:

Me Morte disse...

Um mantra! Muito místico, gostei.
Vc conseguiu passar um pouco dessa riqueza com teu texto.

Simmons disse...

éééé escreve demais garota...
continue assim