sábado, 23 de janeiro de 2010

SONETO DE HALLOWEEN



Burne Jones Le Vampire


SONETO DE HALLOWEEN



Tu, bruxinha ideal, pálida estrela,
Fada medieval num cemitério,
Esqueleto puríssimo e funéreo,
Vampira imaculada, meiga e bela.


Eu, vampiro sangrento, lindo mago,
Invocando dragões por grande cântico...
Príncipe dark, poeta ultra-romântico,
Noturno vencedor, gótico vago.

Ah! Se tu me negares nosso beijo,
Agirei como manda a Lei do Amor,
Não guardarei vontade ou leve dor:

Satisfarei meu ardente e bom desejo
Ao te ter numa fria sepultura,
Perguntando-te: Doce ou travessura?

ROMMEL WERNECK


Nenhum comentário: