sexta-feira, 24 de dezembro de 2010

primeiros passos do calvário

Foto de Rosane Scherer, Adroaldo Bauer ao pôr-do-sol

dizias amar a vida
sem alguma dúvida
devias amar
posto que só ela resulta em morte
por falta de calor
trocaste o sul pelo norte
aqui sem praias
lá, tanto mar
continuavas a dizer, amor
agora já sem dor
dispensa a flor
basta-lhe do fim o horror
ai, três vezes ai,
afasta de mim esse cálice, pai



Um comentário:

Me Morte disse...

Esse é o cálice que queremos afastados, mas que constantemente o procuramos para beber nossa água. Como ficar sem?