terça-feira, 1 de janeiro de 2008

2008 Chegou...Minha Lingua Para os Tostosos de Alma


Abri o Vale...
Muitos loucos entraram,
Jogaram seus restos
Em decomposição, choraram,
Comeram minha grama,
Beberam minha lama,
Me estupraram...
E eu deixei.
Porque sou louca,
Sem ser suicida,
Gargalho da vida,
Depois renasço...
E abro os braços,
Mas dessa vez,
Para os totosos de alma...
Esses, me dou, me fodo, me ferro, me ardo...
Num gozo, de espírito novo,
Para mostrar aos abutres
Que já viraram pó,
E nem tive dó...
Que só não comi suas vísceras porque vomitaria depois...


Me Morte
(1° dia de 2008)
Esse poema foi um desabafo, um acerto de contas para fechar o ano de 2007 e abrir a porta do que será O ANO DECISIVO, tanto para meus projetos aqui no virtual, quanto para minha vida pessoal.
É para lembrar que a vida real está aqui ao lado, acontecendo, e é nela que conquistamos nossos degraus mais árduos. 2008 será assim, um ano de conquistas, pela prévia que tenho tido aqui no mundo real, só terei batalhas esse ano e, se trabalhar direito, colherei bons frutos.
Desejo para 2008 que todos os meus verdadeiros amigos permaneçam fortes, com saúde e paz, para que me acompanhem nessa subida. Amigos escalam juntos sem cansasso, com disposição e fé, colhendo junto os frutos.
Que 2008 seja o ano das alegrias e realizações de todos.
No meu caso, se a cerveja deixar, é claro,rss...

3 comentários:

Mali Ueno disse...

aew!!!
a me já quebrando a banca no primeiro dia do ano!!

parabéns, me!!!

Maria Goreti disse...

Lindo teu poema,ME! Parabéns!
Que todos os teus sonhos se realizem, com muita paz e alegria para 2008.
Beijos.
M. Goreti

Glauber Vieira disse...

Dificuldades inspiram... basta ter sensibilidade para gerar um belo texto.
Parabéns, Me!