domingo, 13 de janeiro de 2008

Despedida Negra


de Rodrigo Caldas

Estou aqui, andando, cantando...
Cantando ao vento, pois não
Me serve de nada cantar para você,
Pois é você, que ignora aquilo
Que eu lhe digo em minhas canções,
Em meus poemas; você ignora
Todo o meu mundo; é triste ver como você me ignora,
Mas é essa a verdade, você me odeia, aliás acho que você nem repara que eu existo.
Não repara ou finge que não repara?
Como os seus amigos queridos não gostam de mim,
Você nega todos os seus sentimentos em relação a mim.
Não estou lhe percebendo, mas é você que sabe...
Sei que um dia vai me procurar, e ai será tarde demais.
É só isso que lhe digo, pense bem nas minhas palavras
E um dia verá que tenho razão, mas ai será tarde de mais...
Fique bem no seu mundo, com os seus amigos,
Egoistas que, no fundo, também gostam de mim mas tem medo de admitir, à isso eu chamo covardia...
Mas me vou pois nao tenho tempo para
Sofrer por você, tenho que aproveitar a vida.
Se voce não quer fazer parte da minha vida,
Adeus...

Rodrigo Caldas

Um comentário:

Me Morte disse...

Rodrigo
O teu texto tem o estilo de tradução de música americana. Eu li e fiquei tentando imaginar a música.
Bom.