segunda-feira, 28 de janeiro de 2008

Música


A última dose Psicodélica


É preciso ter coragem
pra depois de uma certa dosagem,rir.
A noite que jamais escurece
o calor e o frio
do dia que nunca amanhece.

A catarse de mim mesmo
nada adiantou
mesmo com minhas fases
imundas no banheiro
desconheço as cores moveis
que me tomou por inteiro.

Gritos atormentam minha alma
jamais se calam...
Parem de me chamar!
O que vão pensar?

É preciso não ter noção
sair em disparada
e vetar os olhos para razão.
Sumir no infinito sem se mexer
olhar para mim mesmo
e não me reconhecer.


(Emerson Sarmento)

4 comentários:

Me Morte disse...

A música é uma droga! Eu sou viciada! Teu poema é lindo, boa estreia. Seja bem vindo!
Beijos

o palhaço disse...

Valeuu Me!
Uma honra fazer parte aqui do Vale das sombras!!!!!!

beijoooo=P

Fada Verde disse...

Caramba!!! Lindo Lindo...

Muitooooooo muitooooooo

"energético"

Emerson Sarmento disse...

-

Oiii,valeu mesmoooo!!
fico felizz por ter gostadoo
hum...
gostei do codinome(fada verde),adoroo esse drinque
absinto é a melhor que há!!
kkkkkkkkk

bjuss