domingo, 2 de março de 2008


Derramando tinto vinho

à mesa de um maçom

O cálice pretotorneado

pedia por arte bárbara

Tantas que fossem

ao quarto de Azul

nenhuma escapava

ao terrível maçom

E ele as possuía

as seduzida... e mais

Até que delas se cansava

e seu frasco de vinho

enchia... e mais... e de novo.

4 comentários:

Mali Ueno disse...

ihh.. a imagem ficou grande demais..
rss

Me Morte disse...

eu arrumo linda

Mali Ueno disse...

valeu me..
hehehehe

Juliana T.P. POE disse...

ahhhhhhhhhhhhhhh
PeRfEiTooooooooooooo
caiu muito bem a foto do hannibal pra esse poema
AmEi :)
parabéns
bjão