segunda-feira, 15 de junho de 2009

MANHÃS, MANHAS & POESIAS




MANHÃS, MANHAS & POESIAS
Thiers R>


Lenta morre a dor

amassada por pedras

presa no leito seco

do rio que passou

lenta morre esta dor

infame dor aberta

triste des’água

no solo

abre-se em’sois

quebra-se na paisagem

voleja o’ar

triste dor disforme

massacrada por palavras

agora publicadas

digo que te vais

so’r’risos ficam

macios dedos

entregues a verdes’manhãs

que abrem-se agora



>

3 comentários:

cris disse...

Tem um presentinho pra vc lah no meu blog, vai lah!

Bjs,
Cris.

Me Morte disse...

valeu cris!bjão!

Thiers, teu poema é sedutoramente lindo! Como todos que vc faz!
Beijão!

Thiers R > disse...

mmle cris a curiosidade inda acaba comigo. Estive lá e naum vi. A mmle poderia me dizer o que é????