segunda-feira, 21 de fevereiro de 2011

Sobre esperas e compulsões










Mais uma vez
mergulho.
O fundo é cego
e seu ruído surdo
martela
cada instante de ausência.
E cada palavra não dita
ecoa
numa mudez que fere.

Sístoles e diástoles
preenchem
o silêncio
da noite.


(Celso Mendes)

5 comentários:

Lara Amaral disse...

Muito bom, Celso!

Beijo.

CARLA STOPA disse...

Forte...

Me Morte disse...

Angustiante...Parabéns!

Vinicius.C disse...

Preencher o silencio da noite, é manter pelo meio a certeza do dia!

Um forte abraço, gostei muito do seu espaço!

Vinicius.

★★ GIZA ★★ disse...

OLÁ
ADOREI SEU BLOG E ESTOU SGUINDO.
ME SEGUE?
WWW.AMORIMORTALL.BLOGSPOT.COM
BEIJOS