sábado, 21 de janeiro de 2012

Desorientação

já entendi meu pedaço iluminado por estrelas
alguma coisa sobre as fases da lua
e o trajeto do sol

mas me esqueci de marcar os caminhos
não aprendi o voltar

eu desconheço o espaço deste agora

e as setas
sempre apontando para meu peito
arrastam-me para um escuro
aonde ainda não sei
ainda não sou
apenas
estou

(Celso Mendes)

2 comentários:

Me Morte disse...

É isso aí amigo! São sentimentos contínuos. Muita gente vai se identificar com seu poema!

Adroaldo Bauer disse...

Se desorientar na busca é isso, ansiedade e angústia custa! Bom trabalho!