quinta-feira, 25 de setembro de 2008

DERRAMO EM TUAS MÃOS






DERRAMO EM TUAS MÃOS


Rosto desfeito de pele
alma de poeta
fala ao faminto
coração

Que importam cascas
deterioradas
comida de vermes?

Insanamente existo
Beijo-te com a gula
do olhar

Abro o peito
cravo o punhal
rompem artérias
no abraço
da aragem

Parido
da concha
expelida na dor
pérola tornei-me
em meio
ao sangue
que pintava
o mar

Degluti
cuspi rosas
acariciei teu
rosto

Beijei a lágrima
dei poesia
que em pingos
transparentes
derramo em tuas
mãos.

RJ – 30/07/2005
** Gaivota **


________________________________________

2 comentários:

Thiers R > disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Thiers R > disse...

Ga, vc é um de meus ídolos... vc escreve em diversos tipos de linhas poéticas, sendo um poet del mare.
lindo isso!


........

Que importam cascas
deterioradas
comida de vermes?

Insanamente existo
Beijo-te com a gula
do olhar

Abro o peito
cravo o punhal
rompem artérias
no abraço
da aragem
.........